Barra Energia anuncia conclusão do segundo poço horizontal de desenvolvimento de alta produtividade do Campo de Atlanta

07/07/2017

A Barra Energia anunciou a conclusão da perfuração e teste do poço 7-ATL-3H-RJS, o segundo poço produtor horizontal completado com success no Campo de Atlanta. O Campo de Atlanta é uma das duas acumulações em desenvolvimento no Bloco BS-4, a outra sendo o Campo de Oliva. A Barra Energia detem 30% de participação no bloco, em associação com Queiroz Galvão Exploração e Produção S.A, operadora com 30% de interesse, e OGX Petróleo e Gás Limitada que detém os restantes 40% de participação.

Localizado em águas de cerca de 1.500m de profundidade o poço foi perfurado até profundidade total medida de 3.560m. Uma seção de 835m foi perfurada horizontalmente dentro da zona portadora de óleo, que consiste de arenitos do Eoceno com alta porosidade e permeabilidade. Esta seção horizontal foi então revestida com tubos rasgados e completada para produção.

O teste de formação convencional realizado neste poço confirmou a alta produtividade que já fora obtida no primeiro poço de produção horizontal recentemente completado, resultado extremamente relevante principalmente se forem consideradas as limitações à vazão do reservatório impostas pelas condições operacionais do teste. Ainda mais significativo é o fato de que o teste deste poço foi realizado com uma bomba elétrica submersível localizada no fundo do mar ao invés de instalada dentro do poço em frente aos reservatórios. Esta configuração permitirá uma redução muito significativa de custos operacionais na segunda fase de desenvolvimento do campo. Com este resultado de teste se confirma a indicação de que cada um dos dois poços perfurados e completados até o momento entrará em produção operacional no limite superior de produtividade estimada com base em simulação de reservatórios, de 6.000 a 12.000 bopd por poço.

Em função dos excelentes resultados obtidos nos dois poços de produção horizontais perfurados no Campo de Atlanta os consorciados decidiram prosseguir com a contratação de um FPSO com capacidade de processamento de óleo de 30 mil b/dia para a Fase I do desenvolvimento do campo. A chegada do FPSO na locação do campo está prevista para o quarto trimestre de 2017 com início da produção estimado para o primeiro trimestre de 2018.